enem
Simulados e aulas pela internet são opções cada vez mais procuradas por quem está estudando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). É preciso, no entanto, ter alguns cuidados na hora de escolher a melhor plataforma.

O primeiro passo é conhecer bem o Enem, como aconselha o professor do Colégio JK, em Brasília, Marcelo Freire. “O Enem é uma prova diferente de vestibulares comuns. O exame não monta questões com determinado conteúdo para selecionar o aluno, o Enem usa competências, habilidades, tem níveis: fácil, médio e difícil, é uma outra abordagem do ensino médio”, diz.

A dica é que o candidato acesse no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) o conteúdo das provas e as matrizes de referência. “Conhecendo o Enem, o aluno vai conseguir separar na internet o que é bom do que não é”, diz o professor.

Segundo o educador, é preciso estar atento porque muitos sites disponibilizam questões de vestibulares como se fossem do Enem. Os conteúdos são diferentes e o aluno perde tempo em vez de se preparar.

Alerta

O professor da escola Garriga de Menezes e do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, Rubens Oda, alerta o estudante para buscar sites de confiança e, para isso, “olhar a quantidade de curtidas e recomendações da página”.

O aluno pode observar também o que é oferecido: há sites que contêm múltiplas funcionalidades, explica Oda, como listas de exercícios, material de apoio, simulados, que ajudam o estudante a se preparar melhor para o exame. “Hoje há uma gama muito grande que pode ser usada em casa, uma série de aplicativos, sites. Esse material pode ajudar também nas aulas presenciais”, diz.

Conteúdo multimídia

Freire complementa que questões comentadas do Enem e videoaulas são boas pedidas. “O fato de o aluno poder pausar e voltar, assistir quantas vezes achar necessário resolve metade dos problemas em sala de aula. Na sala, quando o aluno se distrai e perde o fio da meada, muitas vezes perde o conteúdo”.

Marina Pimenta Staub tem 17 anos e está no terceiro ano do ensino médio. Para ela, a internet tem sido fundamental nos estudos. No ano passado, a aluna, ainda como treineira, alcançou 850 pontos na redação do Enem – a nota máxima é 1 mil.

“A internet me ajuda a tirar dúvidas e aprender matérias que nem sempre aprendo na escola ou a adiantar matérias que caem no Enem e não tem tempo de aprofundar na sala de aula”, diz a estudante.

Geekie Games

Um das opções de portais de estudo recomendados é o Geekie Games, selecionado pelo Ministério da Educação (MEC) por meio de edital. A plataforma oferece textos, videoaulas, simulados e jogos para os estudantes, tudo on=line.

O projeto idealizado pela ‘Geekie‘, disponibiliza conteúdo gratuito para todos aqueles que queriam se preparar para o Enem Ao entrar na plataforma, o aluno faz um teste diagnóstico para identificar quais são as dificuldades e níveis de proficiência em diferentes assuntos, de cada um.

Com o relatório em mãos, o aluno tem acesso a um plano de estudos personalizado baseado nas suas dificuldades e pode estudar em aulas disponíveis na própria plataforma. Ao concluir suas atividades, o estudante faz um novo diagnóstico que testará, além dos assuntos já abordados, outros diferentes. Dessa forma, ele tem acesso a um novo plano de estudos.

Questões Enem

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) também tem uma iniciativa para ajudar os estudantes a se preparar para o exame. O aluno pode acessar o aplicativo Questões Enem, um banco de questões que reúne as provas de 2009 a 2013. O acesso é gratuito.

No sistema é possível escolher quais áreas do conhecimento quer estudar. O banco seleciona as questões de maneira aleatória.

Fontes:
linkAgência Brasil
linkPortal EBC
linkGeekie Games